NOVAS‎ > ‎

História

COMO TUDO COMEÇOU

Em 1984, aos 13 anos de idade, Clayton Fonseca teve seu primeiro contato com uma mesa de Pebolim. Rafael que trabalhava como garçon na Choperia de seus pais foi quem deu a idea de alugar uma mesa para entreter os clientes.

Durante os próximos anos, Clayton ficou fascinado com o estilo de Rafael, e lembra-se de nunca tê-lo visto perder uma partida sequer. Controle de bola, jogadas ensaiadas,  precisão com velocidade, criatividade e Fairplay caracterizavam o estilo de Rafael.

Vencer Rafael era o seu principal objetivo, mas para isso seria necessário uma mesa em casa para treinar, e seus pais o presentearam com uma mesa nova que foi a maior atração e Clayton e seus amigos pelos anos seguintes.

Com o passar do tempo, Clayton começou a ficar invencível em sua mesa, e nem seus amigos tinham mais vontade de jogar contra ele, então a mesa foi ficando se uso até que foi aposentada e depois vendida, apenas porque não tinha mais com quem jogar. (várias pessoas se identificam com essa situação).


Em 1991, agora com 21 anos, foi morar anos nos EUA e onde teve seu primeiro contato com uma mesa profisisonal, a TORNADO, onde constatou a enorme diferença entre uma mesa de bar comum do Brasil e uma mesa profissional, jogou poucas vezes, pois tinha o foco em outras atividades na época.

De volta á sua terra natal, já com 30 anos (2000) voltou a jogar exporadicamente em casas noturnas como por exemplo o Moby Dick em Santos-SP , e foi o que reacendeu sua paixão pelo Pebolim.

Em 2003 com ajuda da Internet, descobriu que outros países tinham federações e juntos formaram em 2002 a ITSF - Federação Internacional que desde então vem promovendo a Série Mundial, o Campeonato Mundial, e a Copa do Mundo de Pebolim desde 2006.

Movido pelo desejo de competir em Campeoantos Mundiais, Clayton importou uma Tornado para treinar com seus amigos, mas devido a grande diferença da "gringa" para as nacionais, de início ninguém gostou da novidade, a Tornado, por ser tão diferente do que estavam acostumados.

Poderia ter persisitdo, mas por falta de experiência, teve uma idea: construir uma mesa do zero, misturando o que estavam acostumados como por exemplo, as barras e bonecos, mas também tivesse os melhores aspectos da "gringa" como o campo reto, jogadores bem alinhados e bem fixados na barra, uma esttrutura mais sólida, entre outros detalhes, e assim nasceu a primeira mesa NAJA em 2004.

Antes da primeira mesa ficar pronta já estava vendida para um amigo, então foi necessário construir mais uma que acabou ficando ainda melhor. Essa segunda, uma vez apresentada para os amigos e jogadores locais foi muito bem aceita e agora uma casa noturna local frequentada pelos amigos, o "Internet Bar" encomendou uma mesa NAJA para substituir a que tinham pois vivia quebrada.

Hoje em dia o Internet Bar continua com a 3ª mesa NAJA construída e depois o MobyDick encomendou uma também, que está lá até hoje a mesa número 05, depois com a exposição das mesas nesses locais públicos e o boca-a-boca, acabou lenvando a construção de mais mesas, até que a sala ficou muito pequena.

Obs.: Continua até hoje jogando no Internet Bar e no Moby Dick, que desde 2006 adotou a mesa NAJA.

Clayton alugou uma bancada em uma marcenaria e lá trabalhou por quase 2 anos onde aprendeu tudo que precisava para melhorar ainda mais a mesa, utilizando uma acabamento em fórmica que dava uma aparencia muito bonita acabou atraindo ainda mais compradores.

Focado em qualidade de jogo, durabilidade das mesas e aparência, o custo para sua construção ficou muito além das mesas do mercado nacional, por esse motivo inicialmente nem pensou em vender as mesas, não estava preocupado com vendas e sim com qualidade de jogo. Construia as mesas como Hobbie em seu tempo livre.

Em um dado momento decidiu montar um site e disponibilizou algumas fotos, que somadas ao boca-a-boca dos jogadores locais, acabou resultando em alguns pedidos, então houve a necessidade de dar mais um passo adiante.

Em meados de 2007 mudou para um galpão pequeno com apenas 40 m2, e começou a comprar todas as máquinas e ferramentas necessárias, em pouco tempo precisou contratar um ajudante e a NAJA se transformava em um negócio, decidiu largar sua função principal de Importação para se dedicar 100% ao Pebolim.

Em Outubro de 2007 foi para o primeiro Mundial em Saint Vicent na Itália, onde teve seu primeiro contato com todas as mesas Oficiais da ITSF: TORNADO, BONZINI, ROBERTO SPORT, GARLANDO E TECBALL. O sonho começava a se realizar, agora não dava mais para parar, Pebolim seria sua vida de agora em diante!

Com uma visão ainda mais ampla do esporte e experiência nas mesas profissionais depois de um contato direto por 4 dias, Clayton se concentrou em mudar alguns aspectos da mesa NAJA para se assemelhar, mas sem copiar, as mesas Europeias, então alguns ajustes foram necessários, começou a utilizar uma material diferenciado no campo, alterou algumas medidas internas da mesa e adotou as bolas importadas que oferem um controle de bola totalmente diferente, assim nascia a NAJA PRO II.

A NAJA PRO II foi desenvolvida exatamente para quem não pode comprar uma mesa importada que chega no Brasil a partir de R$ 7000,00 mas, quer uma mesa intermediária para se acostumar com o estilo Internacional de competição.

Durante os próximos 2 anos dezenas mesas foram construídas, e aprimoradas levando em consideração não apenas sua experiência de jogador Internacional, mas começou a ouvir a necessidade de outros jogadores profissionais do Brasil e assim a NAJA passou por mais alguns ajustes.

No início de 2009 depois de voltar de seu segundo campeonto mundial que foi realizado junto com a Copa do Mundo onde Clayton e mais 7 Brasileiros foram disputar. Mais uma vez decidido a ampliar e melhorar o esporte no Brasil, percebeu que havia a necessidade de desenvolver uma mesa mais barata que estivesse ao alcance de mais pessoas.

Para isso seria necessário ampliar o local de construção, alterar algumas coisas para diminuir os custos e poder oferecer uma mesa mais barata sem que se sacrificasse a qualidade de jogo e beleza da mesa, dessa idea surgiu a NAJA PRO I - TREINO, uma mesa ideal para se ter em casa e treinar com nível de competição Internacional por um preço bem brasileiro se comparado ás gringas.

Novamente a fábrica mudou para um local maior, agora um galpão de 150m2, com uma sala onde é mantido um showroom das mesas NAJA, entre outras mesas de outras marcas, sendo 5 no total, e inclusive a tão famosa TORNADO.

A política das mesas NAJA nunca foi imitar qualquer outra mesa, pelo contrário, é uma mesa única mas ao mesmo tempo é intermediária entre as mesas oficiais ITSF que possibilita a seus jogadores adquirirem experiência para jogar normalmente nas outras mesas.

O próximo passo para 2011 é enviar para a ITSF reconhecer a mesa NAJA para que torneios sancionados e Internacionais sejam organizados também em nossas mesas.

O resto da Historia ainda está sendo escrita...

------------------------------------

Comecei aos 14 na Choperia dos meus pais, depois tive mesa em casa onde jogava com os amigos, com 21 anos fui morar fora e tive meu primeiro contato com mesas profissionais, desde então não consegui jogar mais nas mesas de bar nacionais. De volta ao Brasil com 30 anos, comecei a importar essas mesas, mas devido ao alto custo nem todos podiam ter uma, então aos 35 anos decidi começar a fabricar uma 100% nacional com as principais características da importadas, porque as que haviam no Brasil eram muito precárias quando comparadas ás "gringas",  e hoje já fazem 11 anos que fabrico apenas mesas profissionais. Tenho quase 500 mesas entregues até o momento.

Na foto quase não vai perceber mudanças, mas se tiver chance de ver uma de nossas mesas ao vivo, poderá constatar que muita coisa mudou, para melhor.


Comments