NOVAS‎ > ‎

Aprenda a escolher

O QUE É PRECISO SABER PARA RECONHECER UMA MESA PROFISSIONAL?

Apenas INFORMAÇÃO, pois só o fato de saber as diferenças entre uma e outra, já lhe possibilita escolher corretamente.

O mais importante é a relação:
BOLA x CAMPO x BONECO.

A formação dos bonecos tem que ser: 1-2-5-3, ou seja:

1 goleiro
2 zagueiros
5 meio de campo
3 atacantes

Outros aspectos podem ser levados em consideração, como ser oficializada por alguma entidade esportiva, mas o mais importante é a qualidade de jogo que ela oferece.

CAMPO:
A mesa profissional tem campo reto, rígido, não empena nem afunda quando pressionado, por isso não tem aquelas "descaídas" indesejáveis. O campo reto lhe permite parar a bola escolher o que vai fazer, se não for assim, será muito difícil executar qualquer jogada, pior ainda para jogadas de precisão como "Snake-shot", "front-pin" e "back-pin", que são as jogadas utilizadas pelos melhores jogadores do mundo.

Sem o controle de bola necessário, só resta ao jogador iniciante rodar as barras - o que é proibído - e bater para frente de qualquer jeito, contando basicamente com sorte e eliminando toda a técnica disponível.

Mesas recreacionais são construídas com campo de duratex de 3 ou 6mm, no formato côncavo, que direciona a bola sempre para o centro da mesa. Em mesa profissional, quem controla para onde a bola vai é VOCÊ, e não o campo. Por isso também devem ser bem niveladas.

O material de construção e revestimento do campo, ou seja, pintura, laminação, vidro jateado, ou outro, influenciam diretamente no controle de bola e na qualidade das jogadas que podem ser executadas. Controle de bola é aspecto mais importante do Pebolim, sem isso não existe qualidade de jogo.


BONECOS:
Se os bonecos não forem presos com parafusos de aço e bem apertados, em pouco tempo de uso resultarão em uma certa folga, que lhe dará uma resposta "xoxa" a cada vez que bater na bola, isso tornará o "Tic-Tac" lento demais e você perderá velocidade e precisão na maioria das jogadas.

Existem diversas marcas de bonecos com diferentes materiais e formato de pézinho diferente. Os melhores bonecos são os importados fabricados em ABS e MOPLEN e oferecem ranhuras no pézinho que possibilitam um controle melhor nos passes.

No Brasil temos bonecos de Plástico Polipropileno (PP) que são muito resistentes e leves. Existem diversos fabricantes de bonecos em nosso país, alguns são de plástico de 1ª qualidade e outros reciclados que os tornam menos resistentes.


BOLAS:
As bolas são fabricadas em diferentes materiais, as oficiais devem ter o diâmetro de 35mm, algumas são mais lisas, o que as tornam mais rápidas e menos controláveis. As melhores bolas são as importadas, preferivelmente as bolas oficiais da Federação Internacional (ITSF).

Umas são mais asperas, mais lentas, mas oferecem melhor controle, outras são de borracha ou de cortiça, são ainda mais lentas, e oferecem um excelente controle, o que permite ao jogador treinar e desenvolver as jogadas com mais facilidade. Uma vez desenvolvida certa habilidade, o jogador conseguirá se adaptar mais facilmente com qualquer bola.

No Brasil costumamos ver uma bola de plástico que tem entre 38 e 40mm, tem gomos para aparentar uma bola de futebol, são baratas, fáceis de encontrar e bem pesadas, o que ajuda a danificar a mesa e não oferecem controle satisfatório.

Esse tipo de bola é a mais difícil de ser controlada, por isso só resta ao jogador iniciante bater para frente, rodar as barras e torcer para a bola entrar no gol adversário, quanto mais forte bate, mais ela pula que nem uma louca batendo em tudo e aumentando a chance de acabar no gol adversário, isso não requer técnica nenhuma, qualquer pessoa pode fazer dessa forma, talvez por isso ainda não temos muitos jogadores de ponta em nosso país.

Só o fato de ter uma bola profissional, pode melhorar muito a condição de uma mesa mesmo que ela não seja tão boa. Mas uma bola ruim, não adianta nem na melhor mesa do mundo.


BARRAS:
As barras devem ser passantes, feitas de aço e não podem entortar facilmente. Preferivelmente devem ser cromadas para que fiquem ainda mais leves a macias quando lubrificadas, além de não enferrujarem facilmente também oferecem uma aparência mais bonita em qualquer mesa.

O ferro embutido só é bom para crianças pequenas, com a finalidade de evitar acidentes, mas sacrificam a qualidade do jogo. Em primeiro lugar por serem pesados e tiram velocidade do jogo porque os bonecos são de ferro ou alumínio, o que também danifica a bola e, normalmente são na formação 1-3-4-3.


MOLAS x AMORTECEDORES:
As molas quando ainda novas requerem do jogador pressionar a barra com força contra a lateral para impedir da bola passar, e depois quando velhas, perdem essa elasticidade e acabam por danificar a bucha e as laterias das mesas.

Os amortecedors por sua vez, duram muito mais tempo com a mesma elsticidade, promovem um conformto maior aos jogadores, e não necessitam força para impedir a bola de passar na parede, basta encostar a barra e pronto. Se a mesa tiver sido projetada corretamente, a bola não deverá passar.


A MESA:
Também chamado de Gabinete, deve ser bem estruturada, oferecer estabildade. Existem diferentes tipos de gabinetes, mas isso não incluencia na qualidade do jogo, apenas na durabilidade da mesa.

A PEBOLIM BRASIL optou por não utilizar madeira nobre na construção, apenas madeira certificada, tratada contra pestes e ecológicamente correta como o compensado e o MDF que não tem problemas de retratibilidade quando muda o tempo. Se você também é consciente com o meio ambiente, adote essa idea!

As medidas podem variar poucos centímetros entre uma marca e outra, mas isso não influencia muito na qualidade de uma mesa. O resto é aparência, e depende do gosto de cada um, mas não compre uma mesa apenas pela aparêcia, procure a que oferece melhor condição de jogo e durabiidade.


OFICIAL:
Muitas mesas são anunciadas como "OFICIAL", porém nem sempre isso é verdade. Oficial é uma mesa utilizada em algum torneio oficial, que por sua vez é organizado por uma entidade esportiva relacionada ao pebolim, a qual irá testar a mesa na sua comissão técnica, aprovar e oficializar-la. Mais de uma mesa pode ser oficializada pela mesma organização.

Qualquer fabricante que fundar uma Associação ou Clube, e utilizar uma determinada mesa para organizar torneios, poderá chamar a mesa escolhida de OFCIAL, mesmo que não seja da melhor qualidade ou profissional, mas desde que seja aceita pelos jogadores que nela competem.

A única forma de se comprovar a qualidade de uma mesa, seja oficial ou não, é jogando nela ou perguntando a jogadores profissionais se conhecem tal marca e qual o seu parecer.

O melhor jogador do Brasil, o Tri-Campeão Rogério Gonçalves, é uma referência, entre em contato com ele e pergunte o que ele acha da NAJA PRO II.


PROFISSIONAL:
Uma mesa profissional, é aquela que é utilizada em algum torneio importante, no caso a NAJA PRO II é a mesa oficial do Campeonato Brasileiro (FEBRAPE) desde 2008. O único campeonato que pode classificar seus campeões para participar do Campeonato Mundial e COPA do Mundo de Pebolim, ambos realizados pela ITSF - Federação Internacional.

A NAJA PRO II, apesar de ainda não ser reconhecida oficialmente pela ITSF, já vem sendo construída conforme os critérios internacionais desde 2009. Após uma visita ao escritório da ITSF em Nantes na França, solicitamos todos os critérios necessários, afim de nos adequar ao padrão internacional e futuramente oficializar nossa mesa para torneios internacionais no Brasil e na América do Sul.

Comments